Only registered users can comment.

  1. Whats the bet that this story will not receive 0.01% of the media coverage of supposed aircraft near misses? Great to see positive uses

  2. Alguém já pensou, ou tentou utilizar drones na localização e resgate de desaparecidos na zona da morte do monte Everest? Ou no lançamento de provisões como pequenas barracas, pequenos cilindros de oxigênio para o retorno as zonas mais baixas e seguras do monte Everest ou aos postos de apoio ao alpinista, ou lançamento de algum dispositivo de aquecimento a bateria (ou cilindros de gás butano, mas acho que esses não funcionariam por conta do ar rarefeito), mas mantas térmicas, garrafas térmicas, alimentos quentes como sopas em recipientes térmicos, ou bolsas termicas (baterias termicas) para aquecimento das juntas do corpo, ou aquecimento dentro das roupas e extremidades do corpo, seria necessário um compartimento térmico leve e resistente para conduzir e lançar através de alçapão as provisões já próximas ao solo. Se cada montanhista fosse obrigado a subir o monte com um localizador GPS que cotenha um botão de pânico para acionamento do socorro facilitaria também. Os drones conseguem ter um alcance horizontal de mais de 7 km e talvez até mais, um alcance vertical de cerca de 10 km, os mais robustos possuem boa capacidade de carga, muitos com adaptações resistem ao frio, inclusive vi recentemente um vídeo no qual um drone de corrida pequeno alcançou 10km de altura com poucas adaptações para resistir ao frio de -40°C, também hoje muitos drones possuem bons sistemas estabilizadores de vôo e com isso, dependendo do sistema estabilizador de vôo, do peso do aparelho, dos motores utilizados e do processador, conseguem ser extremamente tolerante as fortes rajadas de vento, também muitos já possuem duas câmeras um para o piloto e outra para o operador de câmera que pode trabalhar de forma independente do piloto, pode-se utilizar uma câmera infravermelha, ou térmica para facilitar a localização da vítima, outra coisa é que podem fazer missões autônomas, também possuírem luzes para facilitar sua identificação durante o vôo em ambientes escuros ou com neblina, atualmente podem ser pilotados em primeira pessoa, sem dependência de contato visual, muitos possuem autonomia fica entre 20 min e 40 min dependendo da bateria ou das adaptações, alguns já atingem velocidade próximas 100km/h e em caso de perda de sinal eles retornam ao posto de comando de forma autônoma, ou caso de apresentarem problemas podem ser localizados enquanto durar a bateria, além de poderem ser resgatados, içados, rapidamente por outros drones, eles também conseguiriam trazer mensagens ou materiais dos alpinistas ao posto de comando. Acredito que poderiam ser muito bem empregados no resgate e apoio de pessoal no Monte Everest e poderiam ficar a disposição para eventuais resgates no última base de apoio dos alpinistas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *